Persona x Público-alvo x Cliente Ideal ICP: tudo o que você precisa saber

Saber quem compra de você é essencial para negócios que querem construir estratégias vencedoras de marketing, independente de qual for o seu mercado ou produto, mesmo fora da internet. 

Nesse artigo, você vai encontrar tudo o que precisa saber sobre persona, cliente ideal e público alvo. Além de descobrir se é mesmo necessário para o seu negócio ter os 3 definidos.

Conheça as Diferenças entre Persona x Público-alvo x Cliente Ideal ICP

Persona

No marketing, a persona é uma ferramenta utilizada para projetar um personagem que represente o cliente ideal, seus desejos e necessidades. Ela serve como base para definir a estratégia, escolha do canal, do tipo de comunicação e até o estilo de design do criativo.

Em negócios que estão em operação, esse personagem deve ser o mais próximo possível do cliente ideal. Sendo assim, ele é desenhado a  partir de entrevistas com clientes reais, investigação em redes sociais e grupos e mapeamento dos sentimentos e necessidades dele.  

Com isso, toda a comunicação digital fica mais estratégica e as campanhas de publicidade online mais assertivas. Para os criativos, o design direcionado para a persona gera uma maior identificação com o público e o resultado é o aumento da captação de leads e diminuição do custo de aquisição de novos clientes.

Negócios que estão em estágio inicial podem imaginar suas personas. Sendo assim, é o indicado é criar um ou mais personagens fictícios. Contudo, é preciso levar em consideração os resultados dos indicados de performance. Se for necessário, personas que não apresentam bons resultados devem ser descartadas.

Alguns dados que devem ser levados sobre a persona são: nome, hobbies, idade, hábitos, desafios, desejos, influência, estilo de vida, entre outros.

Para ficar mais claro, veja um exemplo de persona para uma loja de material elétrico.

Sônia, mulher, arquiteta, 32 anos, Rio de Janeiro, solteira, empresária, 15k de salário. Tem problemas com indicação de lojas que trazem problemas a seus clientes e não dão suporte. Deseja uma parceria duradoura com uma loja e que gere renda(comissão) para ela. Ama ser mimada com presentes, adora viajar, acompanha canais de arquitetura italiana e moda Europa. 

A quantidade de personas está ligada ao objetivo de campanha,  tamanho do budget e jornada de compra do seu cliente. Geralmente, se começa com pelo menos duas personas.

Devemos ressaltar que quanto mais personas, maior é a complexidade da campanha, assim como terá um maior o custo e principalmente um nível de maturidade de campanha mais avançado. Isso porque envolve mais criativos, mais conteúdos a serem criados, mais testes e mais indicadores de desempenho. 

É um erro comum querer segmentar demais a campanha com várias personas e acabar diluindo a verba distribuída. Dessa forma, acaba levando um tempo maior de validação e maturação dos indicadores, o que prejudica os resultados.

Público-alvo

O público-alvo é um recorte demográfico e socioeconômico da persona. Ele serve para identificar o tamanho desse grupo de pessoas nas redes sociais e qual o volume de ações, como pesquisas ativas em redes de pesquisa. O público-alvo se trata de um grupo de indivíduos que têm características em comum, possuem a mesma educação, classe social, moram na mesma região e dependendo do seu produto/serviço também possuem o mesmo gênero. 

Dessa forma, nesta caso não se leva em consideração hábitos, gostos, estilo de vida ou outras peculiaridades que não sejam ligadas a características de pessoas que querem seu produto ou serviço.

No público-alvo são trabalhados dados mais amplos e menos segmentados como: região, cargo (principalmente para B2B), formação, interesses, faixa etária e poder aquisitivo.

Confira um exemplo de público alvo para a mesma loja de material elétrico.

Formação ou ocupação: arquitetura.

Idade: 25 a 55 anos.

Gênero: homens e mulheres.

Localidade: O raio de entrega da loja 

Por meio de uma investigação, conseguimos chegar ao tamanho do público encontrado nas redes sociais. No exemplo que citamos, esse público seria de 200 mil pessoas.

Projetando as taxas de conversão (CPM, CPC e CPA) nós conseguimos criar um plano de mídia específico para alcançar esse público na internet e qual o custo dessa campanha. 

É possível planejar apenas pensando em públicos, ou seja, de forma mais ampla. Isso acontece principalmente em serviços ou produtos de necessidade, como aqueles que são comprados por uma dor forte. 

Um exemplo é quando uma pessoa que está com uma lâmpada quebrada e precisa fazer uma troca. Com isso, ela pesquisa por "lâmpadas" no Google e recebe uma oferta de uma loja de material elétrico.

Com isso, é possível perceber que não é preciso saber os hobbies, estilo de vida, idade, nem classe social de uma pessoa para vender tal produto. Contudo, normalmente, são produtos com ticket médio menor e menos valor agregado.

No entanto, é importante ressaltar que quanto mais específico a oferta e maior a conexão da comunicação com a dor do cliente, melhor a percepção de valor e consequentemente maior a lucratividade, retenção e promoção de marca. 

Tendo isso em mente, o ideal é ter a persona bem definida para que a comunicação do negócio seja sempre assertiva e conectada com as dores e desejos dela. Você pode começar sem uma, por meio do público alvo, mas ao passar do tempo você pode identificá-la e assim mapear o seu cliente ideal. 

Cliente Ideal - ICP (Ideal Costumer Person)

O cliente ideal (ICP) é um perfil específico do público-alvo. Nesse caso, existem um conjunto de fatores que identificam as características dos melhores clientes do negócio. São aqueles que compram mais rápido e são mais propensos a buscar um público similar, com maior propensão a compra, maior retenção e promoção da sua marca para outros clientes.

Essa ferramenta é especialmente importante para a qualificação do cliente que vai para a equipe de vendas, pois gera um ranking (lead score) que identifica clientes-oportunidade, construindo assim relações duradouras.

Dentre os fatores para qualificar o ICP estão: nível de engajamento do público com a empresa, frequência de compra da persona, nível de consciência do produto ou serviço, nível de necessidade do produto ou serviço, ticket médio, poder de decisão pela compra.

Na prática, o ICP precisa ser identificado por meio de perguntas chaves, no momento do cadastro do cliente ou na conversão do lead ao baixar conteúdos ricos. No exemplo da loja de material elétrico, o ICP são arquitetas consolidadas no mercado com parceria recorrente, ou seja, ao gerar um conteúdo rico ou cadastrar uma nova cliente arquiteta você pode perguntar o seu cargo na empresa.

Veja um exemplo de formulário.

Qual sua profissão?

Resposta: Arquiteto

Qual seu cargo na empresa?

(  ) CEO Dono (  )  Gerente (  )  Estagiária (  ) Autônomo 

Caso a cliente responda que é arquiteto e CEO ou Gerente, o lead é classificado como oportunidade. Dessa forma, o vendedor consegue ter ele mapeado para uma relação mais estreita. 

Clientes fora do perfil ICP

Caso o perfil esteja muito longe do ICP e o volume de atendimento da loja seja alto, o ideal é o vendedor não entrar em contato com esse cliente, uma vez que não há indicador claro de venda e histórico de venda saudável. Uma solução fácil é ter um contato via mensagem, Whatsapp ou e-mail. Uma outra alternativa é encaminhar para um apoio às vendas, como um pré vendedor.

Em negócios fundamentados em atendimento e vendas, é normal que alguns clientes  consumam muito tempo e negociem tanto que a venda passa a perder a atratividade. Normalmente, são clientes que cancelam mais facilmente ou dão problemas no pós-venda.

Não ter um cliente ICP pode atrair clientes negativos para seu negócio, que se tornarão detratores da sua marca avaliando negativamente sem abrir oportunidade de solução. Isso causa um desgaste até na equipe de vendas, ocupando um tempo que um prospect saudável estaria comprando. 

Como Atrair Clientes ICP?

Uma vez definido o perfil IPC, todas as campanhas e materiais ricos precisam ter a comunicação direta com esse cliente ideal. Por isso, ao contrário da persona que pode ser imaginada, o ideal é que para criar o ICP o negócio tenha um histórico de dados sobre os clientes.

A classificação do ICP não só faz a conversão das campanhas serem maiores, como também ajuda a equipe de vendas. Dessa forma, a assessoria de marketing consegue entregar leads mais qualificados e o vendedor consegue convertê-los com mais rapidez e facilidade.

Conclusão

Se você chegou até o final desse artigo é porque realmente se importa com seu negócio e quer crescer seus resultados. Por isso, pode contar com o nosso time de especialistas.

Acreditamos que com essas dicas, você será capaz de entender a importância de se ter um negócio com essas informações. Temos certeza que após implementado, seus resultados serão muito melhores do que jamais foram. Visite o nosso site e fale com o nosso especialista para implementar uma metodologia que vai levar o seu negócio ao topo!

Siga nossas redes sociais, Instagram, Facebook e LinkedIn, para acompanhar conteúdos voltados para Donos, Gestores, Gerentes de negócios físicos que querem aproveitar a maior ferramenta de vendas do mundo para expandir seus negócios através do digital.

5 mandamentos do chat online para não perder vendas

É difícil imaginar uma empresa que vende pela internet não ter um chat online. Isso porque os chats se tornaram um dos principais meios de comunicação entre a loja e o consumidor. Porém, existem ainda muitas falhas no uso desta ferramenta por parte das empresas, comprometendo a experiência do usuário.

Para se ter uma ideia, 73% dos consumidores apontam o chat online como o canal de comunicação mais satisfatório para entrar em contato com marcas, segundo pesquisa conduzida pela Invesp. O mesmo estudo também aponta que 63% dos clientes online têm mais chances de retornar a um site se ele disponibilizar alguma forma de live chat.

Para que o consumidor fique satisfeito com o atendimento por meio do chat online é preciso seguir alguns critérios. É isso que você vai entender ao longo deste texto que preparamos!

Conheça as vantagens do chat online para o seu negócio

Um site sem chat online é como uma loja que não possui atendentes. 

Imagine que você chega em uma loja física e não encontra funcionários para atender você. Esse é o cenário de um site que não possui chat. Confira as principais vantagens de utilizar um chat.

Respostas rápidas e automatizadas

A agilidade é um dos grandes diferenciais de sites que possuem chat online. Isso porque quando o cliente envia uma mensagem, já recebe uma mensagem automática e se inicia o atendimento. 

Aumenta a confiabilidade da sua marca

Ter um canal de comunicação ágil e online aumenta a confiança dos usuários. Além disso, os clientes enxergam a marca como um negócio que é comprometido com os consumidores.

Melhora a experiência do cliente

O chat online é uma ótima oportunidade para estreitar os laços com os clientes, porque a comunicação é feita de forma prática e ágil. Isso melhora a experiência do usuário, que se sente priorizado. 

Solicitação de feedbacks

Por meio do chat online, você pode ter feedbacks dos clientes ao enviar uma pesquisa automática no final do atendimento. Em poucos cliques, o usuário faz a sua avaliação. Dessa forma, fica mais fácil identificar possíveis problemas e melhorar as estratégias de comunicação, marketing e vendas.

Além dessas vantagens, ainda podemos destacar a redução de custos, aumento da produtividade e a otimização do tempo.

5 mandamentos do chat online para não perder vendas

Agora que você já sabe quais as vantagens de ter o chat online no site do seu negócio, vamos te mostrar alguns dos principais mandamentos obrigatórios para não perder vendas. Acompanhe!

Determinar horários para atendimento

É fundamental esclarecer os horários em que o chat está ativo. Por isso, no site deve o horário de atendimento ao cliente.

Adaptar a linguagem para o público

É preciso ter uma linguagem que seja objetiva e clara. Isso quer dizer que, não se deve utilizar gírias ou expressões chulas, assim como é indicado evitar uma linguagem formal demais. É preciso passar empatia e adaptar a linguagem de acordo com cada cliente.

Ter uma equipe de atendimento treinada

O consumidor não gosta de ser jogado de um atendente a outro. Por isso, é indicado que tudo se resolva com a primeira pessoa que irá atender o cliente. Para isso, é preciso treinar os colaboradores que fazem o atendimento para que eles tenham conhecimento profundo dos produtos e serviços da empresa.

Fazer um atendimento resolutivo

Uma coisa que deixa o consumidor satisfeito é quando ele está com alguma dificuldade ou problema e consegue resolver por meio do chat online. Isso porque a pessoa sente que não perdeu tempo e foi priorizada pelo atendimento do negócio. Por isso, é importante que os atendentes se esforcem para serem resolutivos. 

Ter agilidade no atendimento

Tempo é ouro e ninguém gosta de passar muito tempo esperando por um atendimento, ainda mais online. Isso porque as chances da pessoa fechar a página é grande quando ela não tem uma resposta rápida no chat online. Por isso, para evitar perder vendas é necessário que o atendimento tenha agilidade. 

Conclusão

Como você pode ver, ter um chat online é indispensável para empresas que vendem na internet. Esse recurso aproxima os consumidores da marca, é um canal que pode ser usado para resolver problemas do cliente e aumenta a confiança do público. 

Porém, para que o chat seja eficaz, é preciso ter uma equipe de atendimento que saiba utilizá-lo. Além disso, o recurso precisa estar bem configurado

O chat online é apenas um dos elementos indispensáveis em um site de vendas. Saiba como se destacar no mercado digital! Visite o nosso site e fale com o especialista para entender melhor como conseguir isso. Nos siga nas redes sociais, Facebook, Instagram e LinkedIn para acompanhar outros conteúdos!

Os 10 indicadores (KPIs) mais importantes para seu negócio na internet

Os KPIs ou  Key Performance Indicators são métricas relevantes para serem analisadas quando criadas estratégias de marketing para empresas no digital. Esse acompanhamento é necessário para avaliar se as campanhas desenvolvidas estão performando conforme o esperado.

Imagine que você tem uma necessidade no digital, como aumentar o número de visitantes e conversão no site da sua loja, por exemplo. Para isso, é feita uma campanha nas mídias como o Google e nas redes sociais (Instagram e Facebook) para divulgar o site e direcionar o seu público a ele. A partir disso, como saber se essa estratégia está dando certo?

O Indicador Chave de Performance (KPI) aponta dados que ajudam uma equipe de marketing de performance a encontrar oportunidades de melhorias e falhas de execução para corrigi-las a tempo de atingir os objetivos de uma campanha. Ele é essencial para mensurar o retorno das ações. Com base nessa análise é possível mudar a rota ou dar direcionamento para a estratégia como um todo.

Neste texto, você vai entender um pouco mais sobre o assunto e conhecer quais os principais KPIs fundamentais para serem analisados. 

Saiba quais são os 10 KPIs importantes de serem analisadas

Ao contrário do que muita gente pensa, KPI não é a mesma coisa de métrica. A diferença é que as métricas estão em um nível operacional e os indicadores em um nível tático. Enquanto a primeira mede valores e quantidade, o segundo se trata de medidas calculadas, geralmente, representadas por percentual com uma visão mais ampla e direcionada.

Agora, conheça quais são os principais indicadores que precisam ser analisados em uma estratégia de marketing de performance. 

ROI

O Retorno Sobre o Investimento (ROI) mostra se o dinheiro investido em uma campanha trouxe um retorno satisfatório para a empresa. O ROI engloba vários gastos, inclusive fora do marketing digital, ele expressa uma visão geral da saúde financeira da operação.

Ticket Médio

O ticket médio é quanto cada cliente gasta, em média, na loja virtual. Esse indicador é calculado dividindo o faturamento (receita) pelo número de vendas em um período de tempo. Se um e-commerce faz 800 vendas em um mês, faturando 100 mil, por exemplo, o ticket médio durante esse período será de R$ 125.

Um ticket médio muito baixo pode fornecer insights importantes, como mostrar que você precisa melhorar o sistema de recomendação de produtos ou que os clientes estão com dificuldades para encontrar o que desejam no seu e-commerce. Esse KPI de marketing permite que uma nova estratégia seja traçada para intensificar os seus negócios.

Taxa de conversão

Esse KPI indica a porcentagem de visitantes do seu site que realizaram uma ação, como preencher um formulário ou clicar em um botão para finalizar a compra. Ela é fundamental para descobrir se as campanhas estão atraindo uma audiência qualificada, que pode efetivamente vir a comprar com a sua empresa.

CTR (Taxa de Cliques)

A taxa de cliques (CTR) indica a proporção entre os cliques no seu anúncio e o número de vezes que ele foi visto. Portanto, é a divisão do número de cliques pelo de impressões. Em um anúncio com 5 cliques e 100 impressões, por exemplo, teremos um CTR de 5%.

CPC (Custo por Clique)

O Custo por Clique é quanto você paga por cada clique que o seu anúncio recebe. No Google Ads e em outras plataformas, você pode definir um valor máximo de CPC. Porém, na maioria das vezes paga um valor inferior, conhecido como CPC real, calculado sobre vários critérios.

CPM (Custo por Mil Impressões)

O Custo por Mil Impressões é uma alternativa de cobrança ao CPC. Com ele, ao invés de pagar por cliques, você paga sempre que o seu anúncio for exibido mil vezes. O que pode ser interessante a depender da sua estratégia.

Quantidade de Leads

Um lead é, basicamente, qualquer consumidor que tenha demonstrado interesse nos produtos e/ou serviços que você oferece, seja assinando a sua newsletter ou baixando um ebook em troca dos seus dados de contato. Assim, esse indicador aponta a quantidade de leads que o seu negócio possui.

SQL (Sales Qualified Leads)

Nenhum lead é um cliente garantido. Ele só será um cliente depois de atravessar todo o funil de vendas até o estágio final: o de compra. A leads nesse estágio dá-se o nome de Sales Qualified Lead (SQL), ou seja, lead qualificado para venda. E esse indicador aponta justamente quantos leads SQL o seu negócio possui.

Lifetime Value

O Lifetime Value, em português significa “valor do tempo de vida do cliente”, é uma projeção de quanto em receita e lucros futuros um cliente pode gerar para o e-commerce durante toda a sua vida. 

Custo por Conversão (CPA: Cost per Acquisition)

O Custo por Conversão (CPA), aponta, em média, quanto cada conversão custa ao seu negócio. Esse indicador está disponível no Google Ads, Facebook Ads e em outras plataformas.

ROAS

ROAS é um acrônimo para Return on Advertising Spend, em português, Retorno de Gastos com Anúncios. É como um ROI exclusivo para Ads. Assim, ele indica qual tem sido o retorno das estratégias de mídia paga utilizadas pelo e-commerce.

Exemplos das principais KPIs em cada canal:

Agora você já sabe a importância dos Indicados de Marketing ou KPI e quais são os principais que precisam ser analisados para saber se as estratégias estão dando um bom resultado e o que precisa ser ajustado. A 4leads é expert em analisar dados e métricas, assim como interpretá-las de um jeito simples para que os clientes entendam. 

Visite o nosso site e fale com o nosso especialista para saber mais sobre o assunto. Nos siga nas redes sociais para ficar por dentro de outros assuntos!

Descubra o poder da OKR para negócios

A OKR (Objectives and Key Results ou Objetivos e Resultados-Chave) é uma metodologia que foi criada pelo ex-CEO da Intel, Andrew S. Grove. Porém, ela só ficou conhecida em 1999, quando um dos investidores da empresa Google, John Doerr, a apresentou para um grupo de funcionários da companhia. 

O intuito dessa metodologia é orientar os esforços dos negócios em direção a objetivos cruciais mensuráveis. O modelo de gestão por OKRs busca estabelecer direções claras para alcançar os números que indicam o crescimento de uma empresa. A OKR tem duas fórmulas como pilares: “eu vou” (objetivo) e “medido por” (conjunto de resultados-chave). 

O nosso objetivo neste texto é que você entenda a importância dessa metodologia e como ela ajuda empresas, sejam pequenas ou grandes, a terem resultados acima da média no digital. 

OKR: saiba como funciona essa metodologia na prática 

Um dos motivos para a falta de consistência de muitas empresas é se preocupar apenas com o ritmo do mercado e deixar de lado uma gestão eficiente. A falta de um modelo sólido de gestão e que possa ser aplicado com facilidade é um dos maiores gargalos que podem prejudicar um negócio. 

A metodologia OKR vem para suprir essa necessidade de forma simples e prática. Como mencionado anteriormente, esse método possui dois pilares de gestão que são os objetivos e os resultados-chave. 

O primeiro, apresenta uma direção clara do que o negócio pretende conquistar. Já o segundo, são metas menores que ajudam diretamente na conquista do alvo principal. Elas servem de parâmetro para se determinar o quanto a empresa está perto de alcançar um objetivo.

Veja um exemplo de OKR para ficar mais claro.

Objetivo #1: tornar-se autoridade no mercado.

KR #1: ranquear em 1º lugar no Google para uma a palavra-chave específica;

KR #2: alcançar 10 mil inscritos na newsletter;

KR #3: formar 5 parcerias de co-marketing bem-sucedidas;

KR #4: Aumentar em 50% o número de clientes que conheceram a empresa através de canais digitais.

Quando as OKRs são definidas por uma equipe, fica mais fácil para que todos entendam a sua importância e os esforços que precisam ser feitos para atingi-los. Além disso, com esse método é possível avaliar de forma mais concreta os resultados obtidos com o passar do tempo e fazer os ajustes necessários.

Por que a metodologia OKR é poderosa para negócios?

Existem diversos benefícios de aplicar a metodologia OKR nos negócios. Ela se difere em alguns aspectos em relação às metodologias tradicionais. Algumas das vantagens são:

Com todas essas informações ficou mais fácil de entender como a metodologia OKR é tão importante para uma gestão eficiente. Na 4leads, utilizamos esse método para que possamos ter foco e medir os resultados, ajustando sempre que necessário os processos. Dessa forma, conseguimos entregar um trabalho ainda melhor para os nossos clientes. 

Visite o nosso site e fale com o nosso especialista para conhecer mais o nosso trabalho. Nos siga nas redes sociais para acompanhar outros conteúdos.

Saiba tudo sobre leads e métodos infalíveis para capturá-los

Para quem tem um negócio online ou planeja ter, é fundamental entender o conceito de lead, como capturar leads qualificados e o que fazer quando se tem uma base deles. De uma forma simplificada, o lead é aquela pessoa que está passando na rua, olha a vitrine da sua loja e apresenta o interesse de entrar para ver os produtos. 

No mundo digital, dizemos que os leads são potenciais consumidores. São pessoas que de alguma forma se interessaram por seu produto ou serviço e preencheu um cadastro fornecendo dados pessoais (email, telefone, nome, profissão). Em troca, essa pessoa vai receber um cupom de desconto, uma newsletter, um e-book, acesso a um webinar, uma planilha, entre outros tipos de conteúdos ricos. 

Neste texto, vamos te apresentar alguns métodos infalíveis para capturar leads qualificados para o seu negócio e o que precisa ser feito para nutrir a base de leads. 

5 vantagens de criar uma base de leads qualificados

Antes de tudo, vamos entender o que significa leads qualificados. A qualificação de leads trata-se de um método usado com a finalidade de separar e classificar os contatos que demonstraram interesse no seu negócio ou por algum produto/serviço oferecido pela empresa.

Com os leads qualificados fica mais fácil de compreender em qual etapa do funil de vendas cada um está. Assim, é possível ajudá-los exatamente naquilo que precisam. Afinal, as estratégias que funcionam para um lead que está no fundo do funil podem não ser tão eficazes em relação àqueles que estão no topo, por exemplo.

Algumas das vantagens de criar uma base de leads qualificados e fazer a sua gestão são:

5 métodos infalíveis para gerar leads qualificados

Agora que você já entendeu a importância de leads para o seu negócio e as vantagens de ter uma base, chegou o momento de conhecer alguns métodos poderosos para gerar esses leads tão importantes. Veja!

Produção de artigos

Os artigos otimizados com técnicas de SEO, que fazem com que eles fiquem bem ranqueados no Google, são uma ótima forma de conseguir atrair mais visitantes e gerar leads para o site do seu negócio.

Produção de e-books

São conteúdos mais profundos sobre um determinado assunto. É possível disponibilizá-los gratuitamente para seu público-alvo em troca do contato do usuário, de modo a torná-lo um lead e, posteriormente, um cliente.

Landing Pages

As landing pages ou páginas de captura são utilizadas com a finalidade de recolher dados dos visitantes, por meio de formulários, normalmente em troca das iscas digitais, como e-books, webinars, planilhas, etc.

Infográficos

As pessoas gostam de ter acesso a dados, porque isso as ajuda a tomar uma decisão. Afinal, a análise de números passa mais confiança para quem está buscando informações sobre um determinado assunto. 

CTA ou Chamadas para Ação

Devem ser utilizadas em todos os conteúdos produzidos e compartilhados pela empresa, não importa qual seja o formato do conteúdo. Elas ajudam a persuadir o usuário a tomar uma decisão desejada, como fazer um download ou a compra de um produto. 

Conclusão

Como você viu, saber capturar bons leads e conhecê-los é muito importante para que você consiga nutrí-los, ou seja, ficar mantendo contato e mandar materiais que você saiba que possa interessar a eles. Um exemplo clássico são os e-mail marketing, que podem ser em formato de notícia, avisos de ofertas, informações de eventos, entre outros. 

Para alavancar as suas vendas e melhorar o relacionamento com os seus leads, você precisa de planejamento, boas estratégias, bons conteúdos e um conjunto de técnicas que levam aos melhores resultados.

Entre em contato com a nossa equipe e saiba como dar esse passo! Nos siga nas redes sociais para acompanhar outros conteúdos.

Funil de vendas: por que é necessário para bombar seu negócio no digital?

O funil de vendas é uma representação das etapas que um potencial cliente passa, desde o primeiro contato com o negócio até o fechamento da venda. Esse modelo estratégico é importante para que a empresa consiga traçar estratégias voltadas para o alcance de metas. Por isso, é indispensável que Marketing e Vendas andem lado a lado nesse processo.

O funil auxilia a persona na sua jornada de compra, ou seja, o caminho que o consumidor faz quando passa a conhecer a sua marca. A jornada de compra é composta por quatro etapas: aprendizado e descoberta, reconhecimento do problema, consideração da solução e decisão de compra. 

Na aprendizagem, o comprador ainda não sabe muito bem que tem um problema. Por isso, nessa etapa o objetivo é despertar o interesse da persona por algum assunto e fazer ela perceba que tem um problema ou uma boa oportunidade de negócio.

No reconhecimento do problema, o consumidor identifica que tem um problema e começa a pesquisar soluções.

Na etapa da consideração da solução, a persona já sabe quais são algumas possíveis soluções para o seu problema e começa a avaliar as alternativas. Por isso, é preciso criar um senso de urgência para que a pessoa se empenhe em resolver logo a sua dor.

Na última etapa, que é a decisão de compra, o consumidor irá comprar o produto ou serviço de acordo com as suas necessidades.

Quando você identifica em qual parte da jornada de compra a persona está, fica mais fácil criar conteúdos que se encaixem em cada etapa do Funil de Vendas. Ao longo deste texto, você vai entender quais são etapas do funil e que tipos de conteúdos precisam ser feito em cada uma delas.

Entenda de forma simples as etapas do Funil de Vendas

Para montar um funil de vendas é preciso mapear a jornada de compra da persona, definir os principais marcos que representam as viradas de estágio, definir as etapas do funil (visitantes, leads, oportunidades, clientes) e otimizar o funil. Confira agora, quais são as três etapas de um Funil de Vendas e os tipos de conteúdos que podem ser feitos.

Topo de Funil

É aqui que o visitante acaba de descobrir ou perceber a necessidade, problema ou dor que tem e que precisa ser resolvida. O objetivo da empresa com o visitante, nessa etapa, deve ser educar o potencial cliente com conteúdos que sejam relevantes e que tenham valor para eles. 

Meio de Funil

Já na etapa do meio do funil o visitante apresenta interesse em encontrar a solução e torna-se um lead de verdade. Assim, ele já reconhece que possui uma necessidade/dor/problema e está buscando solucioná-la, mas ainda não entende bem como fazer. Por isso, é importante a empresa nutrir o lead com conteúdos muito ricos e que qualifiquem ele, para que possa avançar no funil.

Fundo de funil

Na última etapa, o fundo de funil, o lead qualificado torna-se, para as empresas, oportunidade real de vendas. Aqui ele já está bem esclarecido e muito próximo de tomar a decisão para ter em mãos a solução necessária, então é o momento da equipe de vendas agir.

Conclusão

Como você viu, montar um funil de vendas é algo necessário para o sucesso do seu negócio no ambiente digital. Por meio dele, é possível traçar estratégias mais assertivas que beneficiam o consumidor durante a jornada de compra. Sabendo como se comunicar com a persona, por meio dos conteúdos, fica mais fácil para você entregar o que ela precisa no momento.

Para ter os melhores conteúdos no ambiente online, você precisa de uma equipe especialista no assunto. Visite o nosso site e entre em contato com o especialista para fazer um orçamento. Nos siga nas redes sociais para acompanhar outros conteúdos!